Este filme no Hulu merece mais atenção

Se você fosse pego em uma situação insondável de vida ou morte, mas pedir ajuda apenas fizesse você parecer louco, até onde você iria para se salvar? Run pergunta e responde a esta pergunta.

Adoro um filme com uma vítima em quem ninguém vai acreditar. Seu thriller comum normalmente teria várias pessoas lutando contra um assassino, mas uma vítima da qual todos são céticos é o vigia perfeito para sexta à noite. Run é o filme perfeito nesta categoria, com um vilão que você irá odiar e ter pena e um protagonista pelo qual você torcerá desesperadamente.

Run é um ótimo filme que definitivamente merece mais atenção. A execução do filme o torna um dos títulos mais subestimados do Hulu.

O que torna o Run especial

Run é centrado em uma adolescente em uma cadeira de rodas, Chloe (interpretada pela novata Kiera Allen), que começa a descobrir segredos obscuros sobre sua mãe autoritária, Diane (Sarah Paulson). O filme começa com Diane dando à luz prematuramente Chloe, que enfrenta uma série de problemas de saúde. Em seguida, avança 17 anos para mostrar seu estilo de vida isolado no campo, com Diane controlando rigidamente as aulas de educação domiciliar e os cuidados médicos de Chloe. Chloe essencialmente não conhece nenhuma companhia, exceto a de sua mãe.

Quando Chloe descobre frascos de medicamentos suspeitos prescritos para Diane, mas rotulados com o nome de Chloe, ela começa a suspeitar que sua mãe inventou seu histórico médico. À medida que ela investiga mais, a dinâmica mãe-filha muda drasticamente e Chloe tenta sair antes que seja tarde demais.

A tensão crescente, a ameaça de violência e reviravoltas inesperadas levam a um confronto emocional e fisicamente angustiante entre as duas mulheres obstinadas, uma delas com a desvantagem significativa de estar presa a uma cadeira de rodas. Surge a pergunta: se os medicamentos nunca foram feitos para ela… Chloe alguma vez esteve doente?

Sem revelar spoilers, a premissa inusitada explora temas de manipulação materna, o que é fascinante por si só. Isto é algo com que muitos se identificam, com as nossas famílias a pesar em cada decisão importante que tomamos, por vezes pode parecer sufocante. Tudo o que temos em momentos como esse é a ideia reconfortante de que eles têm boas intenções. Chloe pode se dar a mesma garantia?

Run tem todos os elementos de um thriller clássico – um protagonista vulnerável preso em uma situação assustadora, um adversário assustador que guarda segredos e jogos mentais crescentes cheios de surpresas. O que faz com que pareça novo é ver a adolescente deficiente Chloe como uma heroína capaz e implacável, em vez de apenas uma vítima indefesa. Observá-la juntar as mentiras que lhe contaram e descobrir como se resgatar cria uma experiência de visualização fortalecedora e emocionante.

cena da corrida

O diretor de Run, Aneesh Chaganty, já havia feito o filme Searching em 2018. Searching foi um thriller realmente inovador porque aconteceu totalmente em smartphones e telas de computador. Estrelou John Cho como um pai que procura desesperadamente por sua filha desaparecida, rastreando sua atividade online em busca de pistas.

Chaganty está mais uma vez usando edição e câmeras inteligentes em Run para criar uma atmosfera envolvente de paranóia e tensão. Sua habilidade em criar thrillers com profundidade emocional e talento técnico torna este filme imperdível para os fãs do gênero.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima